Artigos

Prevenindo as crises de Herpes

O herpes simples, é uma doença viral, causado pelo herpes simples vírus (HSV), que acontece no mundo todo de forma frequente, e se caracteriza pela formação de vesículas agrupadas sobre uma área de pele avermelhada. As lesões labiais geralmente são causadas pelo HSV – 1 e as genitais pelo HSV – 2.

O primeiro contato com o HSV pode passar despercebido, mas o vírus permanece em estado de latência por toda a vida, podendo ressurgir na forma descrita acima em períodos variáveis.
Fatores como exposição solar, febre, período pré- menstrual e estresse emocional sõ alguns dos fatores que podem desencadear uma crise. As crises são normalmente precedidas de um desconforto local (ardência ou comichão) que duram aproximadamente 6 horas antes do aparecimento das vesículas. As vesículas se ulceram em 1 ou 2 dias e formam crostas que duram cerca de 5 7 dias.Em 10 dias todo o processo costuma estar encerrado.

Apesar de ser uma lesão de curso relativamente benigno, as lesões labiais causam desconforto pela dor e constrangimento que podem atrapalhar a vida pessoal e no trabalho.

Algumas vezes, as crises ocorrem de forma frequente. Nesses casos, é importante procurar o dermatologista para uma orientação de como conduzir o caso. Hoje podemos realizar um tratamento profilático supressivo através do uso da LISINA. A lisina é um aminoácido essencial com algumas funções biológicas., dentre elas a produção de anticorpos, hormônios e enzimas.Ela consegue diminuir a recorrências das lesões herpéticas, a gravidade dos sintomas e o tempo de cicatrização. O tempo de uso e a posologia variam de caso para caso e o dermatologista é o profissional adequado para decidir o melhor tratamento. Nas crises, além da contribuição da lisina, o ciclovia oral (ou seus derivados) são indicados. Eve ser iniciado de forma precoce para poder evitar a replicação viral e consequentemente, diminuir o tempo e intensidade dos sintomas.

Vale lembrar que as vesículas são extremamente contagiosas, e devemos evitar o contato íntimo (beijo, toque – para o herpes labial – e relação sexual – para o herpes genital) e o compartilhamento de objetos de uso pessoal nesse período (como batons, talheres, copo, escova de dentes, etc.)